O Sonho de Aquiles (ou A Devastação da Calma)

Cavalos de Tróia galopam
com seus incendiários rasantes no ar.
ao redor de minha cabeça,
sitiando minhas lembranças, saqueando a minha feira
com seus soldados do amor.

furaram meu coração
tacaram fogo em tudo…

em tudo!

Anúncios

Desejo Líquido

Quando eu me apaixonei
O vento soprou ligeiro
Aterrou minha varanda
Revirou meu quarto inteiro
Ele só não quebrou tudo
(Bateu portas, o Quasímodo)
Pois o amor quebrou primeiro

Mergulhando nos teus olhos
Te despindo de segredos
Se por descuido ou maldade
Semear em teus lajedos
Pelo meu destino velem
Ante o teu sorriso selem
Nosso amor, ou nossos medos.

Publicado do WordPress para Android enquanto “nômadeio” por aí.

Suplício de Tântalo, ou A Invocação de Rimas Tolas.

Enquanto forem negadas,
Tais respostas não terão
De meu íntimo as perguntas
Proferidas sempre em vão
Vou criar, pois, artifícios
De escondê-las nos suplícios
Pro dia da imolação

No dia da imolação
Brilharei com a tez pura
Por saber que logo em breve
Não me negarão fartura
De segredos revelados
De mistérios desvelados
Abnegação futura.

Publicado do WordPress para Android enquanto “nômadeio” por aí.

Sublimação, ou O Calor dos Novos Ventos.

Sãos, meus olhos não podem ver;
Livre, com minhas mãos atadas por sua fé.

E eu digo a mim mesmo: eu não sei quem sou.
E eu digo a mim mesmo: pai! eu não sei quem sou!

Meu Pai disse as palavras, me despertou de um sono profundo, agora as perguntas fazem minha cabeça girar.

Quando a lua fecundar o sol e a antiga estrela submergir, todos me conhecerão, e será que eu também, enfim?

Mas eu digo a mim mesmo: eu não sei quem sou…
E eu digo a mim mesmo: deus, eu não sei quem sou!

Publicado do WordPress para Android enquanto “nômadeio” por aí.