CAOS, DESTINO E VIDA, EM QUALQUER ORDEM.

Aniversário: que há de se comemorar? Mais um ano completo do dia em que fomos largados aqui. Puxados pela mão fria do caos que rege o universo.

Com suas rédeas cósmicas e seu chicote estelar, ele vem. Vem e não espera. Não volta atrás em seus ciclos caóticos. Soltando a cada ano mais uma lapada de dias.

Não te dá a chance de dizer como foi a última rodada. Não, ele não quer saber e sai despejando mais horas em cada copo.

Enquanto uns vão sendo recolhidos, outros, ao mesmo tempo, vão sendo entregues.

Comemorem seus novos anos, meus caros. Acontece que, desse bar celeste, eu não gostei dessa bebida amarga.

Anúncios